El Caminito “peligroso” del Rey

Somente 1 metro ampara alguém que cruza El Caminito del Rey. De um lado o desfiladeiro de Los Gaitanes se ergue sobre você. Do outro lado, 100 metros abaixo, está o Rio Guadalhorce. O caminho de 3 quilômetros conduz, através dos seus mais de 100 anos de existência, lendas em decorrência dos que se aventuraram e desapareceram. O caminho foi construído entre 1901 e 1905 para facilitar o acesso à hidroelétrica de Chorro aos operários de manutenção, transporte de materiais e segurança. O apelido recebido pelo caminho El caminito del Rey foi dado a ele quando em 1921 o Rei Alfonso XIII precisou atravessá-lo para realizar a inauguração do Reservatório Conde de Gadalhorse, na época chamado Pantano del Chorro.

Rey Alfonso XIII em 1921 – Fonte: http://bit.ly/TgA9hi

Com o desgaste natural do tempo e a falta de manutenção, o caminho foi ficando muito perigoso e ficou conhecido como sendo o caminho mais perigoso do mundo. Isto acabava pro atrair ainda mais pessoas que se aventuravam por lá e os que iam praticar esportes, principalmente pela região ser um dos principais pontos de prática de escaladana Espanha.

Fonte: http://bit.ly/ReioEa

Fonte: http://bit.ly/ReioEa

 

Na década de 1990 diversos acidentes ocorreram, alguns fatais. Isto ocasionou o fechamento do caminho para o público. Hoje, quem atravessar os limites tem que pagar uma multa de 6 mil euros. Já em 2006, o Conselho Provincial de Málaga, com colaboração da Junta da Andaluzia, começaram a planejar uma restauração do caminho. Em 2009 houve o primeiro plano, mas somente em 2012 é que a restauração teve seu começo. Para sentir o friozinho na barriga sem sair de casa, você pode acessar o site www.elcaminitodelrey.com e fazer um passeio virtual 360º por uma grande extensão do caminho. Veja belas paisagens e viva um pouco da história da Espanha.

El Caminito del Rey – Tour Virtual 360º – www.elcaminitodelrey.com

Em busca das melhores histórias, lugares, curiosidades e figuras históricas que marcaram a trajetória da Espanha ao longo destes séculos e milênios.

468 ad

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>