Pamplona e sua história

Cidade milenar que já foi pertencente a diferentes impérios e povos. Sobreviveu a inúmeras ocupações, orou por distintas religiões, serviu diferentes senhores, foi de povoado à capital de reino homônimo. Hoje, a capital de Navarra, ocupada há 75 mil anos, festeja os Sanfermines e sua gloriosa história por entre os séculos.

Vista da La CIudadela, da época Romana. Foto por Frobles

Onde é Pamplona, existia um povoado de Vascões, povo da Idade Antiga, que viveram na época dos Romanos, até que em 74 a.C. o povoado foi convertido em uma cidade romana pelo general Pompeu. Ali foi instalado um acampamento militar e recebeu o nome de Pompaelo. Apesar de serem culturas diferentes, romanos e vascões mantinham boa relação.

Com a queda do Império Romano, os visigodos ocuparam Pampaelo, depois muçulmanos do Alandalus (nome dado à Península Ibérica quando na ocupação muçulmana nos primeiros séculos do primeiro milênio d.C.). Nesta época, o Reino de Pamplona já estava em formação, tendo sido chamado desta forma somente entre os séculos VII e IX.

O principado cristão, o Reino de Pamplona, era vassalo do Califado de Córdova e detinha alguma autonomia ainda. Já nos primeiros anos do século X, o Reino de Pamplona tornou-se plenamente independente e assim se manteve durante 130 anos, colecionando conflitos com estados vizinhos de origem cristã ou muçulmana.

O reino também era conhecido como Reino de Navarra, o que foi estabelecido como nome oficial somente em 1164, após o Reino ter sido um dos mais poderosos quando dominou boa parte da Península Ibérica no século XI.

Pamplona não era exatamente uma cidade, mas sim, um aglomerado de burgos amuralhados que guerreavam entre si. Tal era o atrito entre os burgos que entre 1213 e 1276 eles foram destruídos e massacrados entre si na chamada Guerra da Navarrería. A paz só veio reinar em 1423, quando a administração da cidade foi estabelecida pelo documento “Privilégio da União” e suas muralhas definitivamente destruídas.

Restos da muralha medieval do burgo de San Cernin. Foto por Eaeaea

Em 1512 o Reino de Navarra foi por fim incorporado aos reinos de Castela e Aragão, após a invasão pelos castelhanos em um período da Guerra Civil de Navarra. Reis depostos ainda tentaram retomar o poder sobre o reino perdido, sendo a última tentativa delas em 1521 e derrota de Navarra na Batalha de Esquiroz.

Pamplona ainda foi palco de uma das investidas de Napoleão Bonaparte em 1808, quando a cidade foi ocupada por suas tropas.

A cidade viu-se ocupada pelos franquistas na Guerra Civil espanhola já no século XX, após a vitória dos republicanos que trouxeram a Segunda República Espanhola. Cenas de horror se passaram durante a ditadura de Franco, com fuzilamentos às centenas até o fim da guerra.

Placa na Puerta del Socorro da cidadela de Pamplona em memória aos fuzilados. Foto por Jorab

Durante o período, Pamplona se transformou de uma cidade rural e artesanal em uma cidade industrial. Também viu sua população triplicar. Isso se deu por conta de Navarra apoiar a causa de Franco durante a sanguinária guerra. Ao passo que havia alguma fidelidade, também foi palco de diversos conflitos sindicais, sendo ali a primeira das greve em 1951.

A Iruña, como Pamplona é conhecida em basco, viu tanta tragédia e glória em seu território, tanto festejo e lágrimas, fome e fartura, guerras e um bocado de paz. Hoje é celebrada por milhares de turistas e seu povo nas festas de São Firmino e vê um futuro e presente muito mais felizes que sua milenar história.

Foto por Asier Solana Bermejo

posts Relacionados

Juan Carlos abdica e príncipe será o novo monarca da Espanha

O rei da Espanha, Juan Carlos, abdicou do trono nesta segunda-feira, em um...

Carnaval de Herencia

A celebração é um patrimônio da cidade, declarada interesse turístico regional desde 1987...