As 10 cordas da guitarra de Narciso Yepes

A música castelhana tem muitas referências no violão clássico com violonistas virtuosos no toque e na composição sempre carregada de emoção a cada nota dedilhada. Com Narciso Yepes não é diferente.

Esse teor dramático, profundo e contemplativo que possui seus acordes e canções são traduções de todo o fervor espanhol em suas artes, seja na dança, no cinema, na pintura, e tantas outras expressões.

Yepes, nascido em 1927, em Lorca (cidade da Comunidade Autônoma de Múrcia), ganhou sua primeira guitarra, que é como se chama o violão na Espanha, aos 4 anos de idade. Mudou-se com sua família para Valência e por lá iniciou estudos no Conservatório de Valência com Vicente Asencio, pianista e compositor.

Sua estreia nos palcos foi em 1947, em Madrid, no Concerto de Aranjuez de Joaquín Rodrigo Vidre. Seu desempenho neste concerto deu notoriedade a Narciso Yepes que, depois disto, iniciou excursão com Argenta (que conduziu o concerto) pela Suíça, Itália, Alemanha e França.

Durante sua passagem por Paris, em 1951, Yepes torna-se católico fervoroso após refletir suas ações e questionar sua história. Em entrevista, ele comenta:

“Mi vida de cristiano tuvo un largo paréntesis de vacío, que duró un cuarto de siglo. Me bautizaron al nacer, y ya no recibí ni una sola noción que ilustrase y alimentase mi fe… Desde 1927 hasta 1951, yo no practicaba, ni creía, ni me preocupaba lo más mínimo que hubiera o no una vida espiritual y una trascendencia y un más allá. Dios no contaba en mi existencia. Pero… luego pude saber que yo siempre había contado para Él. Fue una conversión súbita, repentina, inesperada… y muy sencilla. Yo estaba en París, acodado en un puente del Sena, viendo fluir el agua. Era por la mañana. Exactamente, el 18 de mayo. De pronto, le escuché dentro de mí… Quizás me había llamado ya en otras ocasiones, pero yo no le había oído. Aquel día yo tenía «la puerta abierta»… Y Dios pudo entrar. No sólo se hizo oír, sino que entró de lleno y para siempre en mi vida… Fue una pregunta, en apariencia, muy simple: «¿Qué estás haciendo?» En ese instante, todo cambió para mí

Em 1964, Yepes começa a usar sua criação que se tornou sua marca: a guitarra de 10 cordas. O instrumento novo gerava mais ressonância e facilitava tocar peças de música barroca, originalmente escritas para alaúde.

Afinação da guitarra de 10 cordas criada por Narciso Yepes

Seu vasto repertório é objeto de estudo por estudantes de guitarra em todos os lugares do mundo, pois trabalhou sua carreira fazendo transcrições de músicas de todas as épocas e revisando partituras, além das múltiplas gravações realizadas.

Em 1993, devido a problemas de saúde, Yepes passa a limitar suas aparições públicas. Seu último concerto foi em Santander, em 1996, 1 ano antes de sua morte por câncer em 1997.


posts Relacionados

Os curiosos carnavais da Espanha

Uma herança das antigas tradições pagãs que celebram o fim do inverno na...

Catedral de Palma de Mallorca

Um destino que você precisa conhecer. A majestosa catedral gótica, também conhecida por...