Dia da América de Astúrias, em Oviedo

Ao final dos anos 40, um artesão de Valência que fazia os famosos bonecos “gigantes e cabeçudos”, como os encontrados nos festejos para a Virgem do Pilar em Zaragoza, comentou que a Calle Uría, em Oviedo, era uma das mais bonitas da Espanha para desfiles e cavalgadas.
A frase foi ouvida pelo famoso pintor Alfonso Iglesias que consolidou-a em um grande desfile em homenagem a grande emigração asturiana à América, que no verão voltavam a Astúrias e mostravam seus luxuosos “Haigas” por uma Oviedo pouco motorizada ainda.
Abaixo está uma foto de um dos primeiros desfiles do Dia da América e os famosos “haigas”. A foto é do interessantíssimo artigo Los Haigas de los Indianos que conta um pouco da história destes carros em Oviedo.
Os Haigas em desfile no Dia da América de Astúrias
Os “haigas” em desfile no Dia da América de Astúrias

 

O que eram (e que ainda são) os Haigas?

Agora uma curiosidade que é até engraçada.
O apelido que estes carros americanos tinham, “haiga”, se originou com os “ricos” que ,ao comprar um carro, pediam o mais caro que houvesse, ou em bom espanhol el más caro que haiga.
 

O primeiro desfile do Dia da América

O primeiro desfile foi celebrado em 23 de setembro de 1950 e reuniu milhares de pessoas que ficavam deslumbradas pelo luxo de quase 60 haigas cheios de flores e bandeiras, nove bandas de música e oito carros alegóricos pela rua principal. Estes carros alegóricos foram projetados por Iglesias e representavam a despedida dos emigrantes, o barco que os leva para a América, os países de destino (Cuba, México e Argentina), o regresso, já ricos, em um então moderno avião, e a Espanha.
Tanto nos países que americanos que os recebiam, quanto na Espanha, a festa era conhecida como la fiesta de las fiestas.
Carro alegórico no Desfile do Dia da América
Carro alegórico no Desfile do Dia da América

Já na edição de 1951 se incorporou o primeiro grupo folclórico, que se encontrava em turnê por Astúrias e foi incorporado de última hora, mas de um sucesso tal que desde então os bailes e as músicas dos países envolvidos são elementos imprescindíveis no “Dia da América”. Foram incorporando-se outras figuras como os Alfonsinos e las madreñettes.
Ao fim da década de 50, início de 60, a emigração começou a orientar-se para a Europa e isto refletiu no desfile de Dia da América, os haigas deixaram de participar e criaram-se grupos folclóricos da Alemanha, Bélgica ou Suíça, juntamente com os países americanos.
 

E a festa cresceu

A festa que teve o custo de 102.634 pesetas em 1950, chega nos dias de hoje custando mais de 25 milhões e com a participação no desfile de quase duas mil pessoas e que é presenciado por ano após ano por multidões de espectadores.
 

A 62º Dia da América de Astúrias em 2012

A festa de 2012 contou com o seu carro alegórico mais alto da história dos desfiles. O carro de Astúrias media 10 metros de altura, por isto, as bandeirolas penduradas nas ruas tiveram de estar ainda mais altas.
Seguindo inovando, o projetista dos carros, Luis Antonio Suárez, optou por criar alegorias de uma cor somente, sendo o carro de Astúrias completamente azul e o de Cuba completamente branco.
Veja algumas fotos e vídeo do desfile de 2012.

62º Dia da América de Astúrias em 2012

62º Dia da América de Astúrias em 2012

62º Dia da América de Astúrias em 2012

62º Dia da América de Astúrias em 2012

62º Dia da América de Astúrias em 2012


62º Dia da América de Astúrias em 2012

62º Dia da América de Astúrias em 2012

62º Dia da América de Astúrias em 2012

62º Dia da América de Astúrias em 2012

62º Dia da América de Astúrias em 2012

62º Dia da América de Astúrias em 2012

Fonte: Ayuntamiento de Oviedo – Imagens: VideoBLOG de Astúrias


posts Relacionados

Conheça Santiago de Chile: saiba o que fazer na cidade

Com a Cordilheira dos Andes no horizonte Santiago é dona de belíssimas fotos...

Carnaval em Santa Cruz de Tenerife e megafantasias

Até dia 8 de março a folia tem vez na Espanha, precisamente em...